[Resenha] A Garota do Calendário - Janeiro - Audrey Carlan

Ela precisava de dinheiro. E nem sabia que gostava tanto de sexo. O fenômeno editorial do ano e best-seller do New York Times, USA Today e Wall Street Journal
Mia Saunders precisa de dinheiro. Muito dinheiro. Ela tem um ano para pagar o agiota que está ameaçando a vida de seu pai por causa de uma dívida de jogo. Um milhão de dólares, para ser mais exato.
A missão de Mia é simples: trabalhar como acompanhante de luxo na empresa de sua tia e pagar mensalmente a dívida. Um mês em uma nova cidade com um homem rico, com quem ela não precisa transar se não quiser? Dinheiro fácil.
Parte do plano é manter o seu coração selado e os olhos na recompensa. Ao menos era assim que deveria ser...
Em janeiro, Mia vai conhecer Wes, um roteirista de Malibu que vai deixá-la em êxtase. Com seus olhos verdes e físico de surfista, Wes promete a ela noites de sexo inesquecível — desde que ela não se apaixone por ele.

                                                                    Skoob //  Compare e Compre





Oi, gente!

Eu estava muito curiosa para ler esse livro, não porque o titulo dele me chamou atenção ou a proposta, na verdade, eu ouvi muito zumbido ao redor da obra e da autora. E quando as primeiras resenhas começaram a surgir que o “bicho pegou”. Por quê? Porque alguns diziam que era propaganda e outros diziam que era O livro. Lá foi eu conferir e ver o que achava, pois no final o que importa é o que a obra consegue te passar.

Audrey Carlan nos apresenta a Mia Saunders. Uma jovem que desde cedo aprendeu a ser dona de si, encontra-se diante de uma situação perigosa para salvar seu pai. Ela precisa de um milhão de dólares para pagar a divida dela com um agiota perigoso. Com a vida do seu pai em risco, ela busca em sua tia socorro, recebendo uma proposta chocante. Mia teria que se tornar uma acompanhante de luxo. 
Um mês, um cliente, por um ano. Que tia, hein?



Como disse cada mês, Mia se encontra com um cliente diferente, faturando uma bagatela de cem mil dólares.  Ao fazer as contas, ela enxergou a possibilidade de livrar seu pai dessa enrascada (ele está na UTI, depois de levar uma surra do bandido que por acaso é o ex-namorado dela) e garantir o futuro da sua irmã mais nova. E, isso tudo é sem ter relações sexuais com os seus clientes, caso aja sexo a Mia recebe um bônus . O seu primeiro cliente é Janeiro, vulgo Wes. Um cara rico, sexy, lindo (tesão, bonito e gostosão), ela vê nele a chance de poder aprender e repreender a vida.

Eu gostei muito da leitura, da forma como a autora descreve a Mia e a forma natural de mostrar a sua sensualidade. A escrita da autora é bem cativante. Consegui me envolver com o enredo e os personagens. Porém, como a historia é em doses homeopáticas, para ser mais exata, doze doses, não mergulhei ao ponto de querer correr para ler o volume seguinte. Claro, assim que tiver a oportunidade lerei, até porque apesar do romance ser bastante previsível, eu super shippei ela e o Wes.


O livro tem bastantes cenas eróticas — serio, Elen? Risos. A leitura é bem rapidinha, são poucas páginas. Recomendo para quem gosta de um livro adulto e quente. A escrita é boa, e nada de lenga-lenga.

Espero que tenham gostado.

Beijos e um queijo mineiro!

Até a próxima!




3 comentários:

  1. Respostas
    1. Oi, Lu! Eu entendo, o livro não apresenta nada de super novidade, mas gostei da escrita da autora e do lovezinho haha

      Excluir
  2. Eu fiquei ultra curiosa quando lançou esses livros, e fui correndo comprar Janeiro, e digo, foi uma leitura muito rápida e eu gostei, mas é aquela coisa, Fevereiro não me prendeu, não sei se é pelo fato de eu estar apaixonada pelo Wes kkkk mas um dia darei uma chance e terminarei a série.

    Amei sua resenha.

    Beijoss...

    ResponderExcluir