[Resenha] Luta Comigo - Série With me in Seattle, livro 2 - Kristen Proby - Editora Charme

Jules Montgomery está muito ocupada e satisfeita com sua vida para se preocupar com homens, especialmente um como Nate McKenna. Crescer no meio de quatro irmãos lhe ensinou que o mais sensato é ficar longe de homens sexy, tatuados e motoqueiros. Principalmente, se ele for seu chefe. Após participarem de um jantar incrível com os colegas de trabalho, ele violou a política de não confraternização... entre outras coisas, e isso não acontecerá novamente. Jules não vai arriscar sua carreira em troca de sexo alucinante, independente do quanto seu corpo e coração digam o contrário.
Nate McKenna não dá a mínima para a política de não confraternização. Ele quer Jules e vai tê-la. As regras que sejam modificadas, ou que se danem. Ele não é o tipo de homem que entra numa briga para perder, e Jules Montgomery está prestes a descobrir como ele reage ao ser ignorado após a melhor noite de sexo que já teve. Ela pode lutar o quanto quiser, mas ele fará de tudo para ficarem juntos.
Luta Comigo é o segundo romance da série With Me In Seattle.
                     Skoob 🃁 Goodreads 🃁 Saraiva 🃁 Loja Charme 🃑 Amazon

Oi, gente!
Quem é fã de lutador? E de motoqueiro?
Disse sim para os dois? Então você vai adorar o Nate McKenna.
Quem se identifica com a mocinha dona de si, independente, super decidida e louca por sapatos? Ah, Elen, precisa perguntar? Haha
Se você disse sim para as perguntas acima vamos parar de enrolação, não é mesmo? Se achegue mais e venha conhecer Jules Montgomery e Nate McKenna.
Ah, espera! Para tudo! Tenho que dar um aviso. Nesta resenha pode conter spoiler do primeiro livro da série, então, se você não gosta, acho melhor parar por aqui e ir correndo ler Fica Comigo (Resenha aqui).

Jules vê a vida da sua melhor amiga dar um giro de 180 graus, pois, agora ela estava casada e com um bebê a caminho.  Ela podia observar  essa mudança na sua vida também, só que ao invés de ser na vida amorosa, era na profissional.
Ela tinha transado com o seu chefe e fugido no meio da noite.  Agora, mesmo depois de meses, isso ainda a atormentava por causa da política de não confraternização entre os colaboradores da empresa em que trabalhavam, então, se alguém descobrisse, ela estaria perdida. Tudo que tinha que fazer era manter-se indiferente e distante do corpo dele.
Nate, no entanto, não estava nem um pouco de acordo com isso, na verdade, ele estava cagando e andando para qualquer política da empresa. A única coisa que importava mesmo era  a Jules, por isso a chamou para passar o final de semana com ele na sua casa.
A reação dela foi do tipo: “— Você está louco? Quer me fazer perder o emprego?!”
Não, ele não queria, por isso sugeriu que fosse tudo debaixo dos panos, se isso a deixava mais confiante. Aí lá vai a louca da Jules ficar um final de semana inteiro com seu chefe gostosão com pinta de playboy.
A intenção era conhecerem um ao outro. Claro que em um final de semana não dá para se conhecer ninguém, né gente? Mas, pelo menos, desperta a vontade, né non?
E assim segue a história, Nate e Jules lutando contra os desafios que os impedem de ficar juntos.

Eu confesso que esse é o terceiro favorito da série. A Jules é a dualidade em pessoa. Não é por ser  a caçulinha dos Montgomery que ela é mais fraca, muito pelo contrário, é tão forte e obstinada quanto os seus irmãos. O Nate, aaah, o Nate é uma coisa, gente. Uma coisa que nem sei dizer, ele é muito apaixonante e a forma com que ele luta pelo amor da Julianne é muito fofis, muito amorzinho. Não se engane pela cara de mau que ele faz. Haha
A gente já percebe uma diferença na escrita da autora nesse livro, porém, nada muito profundo. O que posso destacar também, e em CAIXA ALTA, é a FAMÍLIA.  Uma família unida, que se ama, que luta pelos seus, protegem uns aos outros, e, quando estão juntos, explodem qualquer fofuromêtro.
O livro é lindo e o padrão Charme está garantido. Está tudo muito mimoso.
Espero que tenham gostado.
Beijos e até a próxima! 

[Resenha] Fica Comigo - Série With me in Seattle, livro 1 - Kristen Proby - Editora Charme


Ser confrontada na praia por um estranho atraente não fazia parte dos planos de Natalie Conner, que só queria passar uma manhã tranquila tirando fotos. Mas, afinal, porque ele pensou que ela estava tirando fotos dele? Quem é ele? Ela só tem certeza de uma coisa: ele é um gato, extremamente romântico e alimenta a sua alma ferida.Luke Williams só deseja que o mundo lhe dê um tempo, então, ver outra câmera apontada para seu rosto quase faz com que ele ataque a bela mulher atrás da lente. Quando ele descobre que ela não faz ideia de quem ele seja, fica intrigado e até um pouco atraído. O corpo de Natalie parece ter sido feito para o sexo, sua boca é atrevida e Luke não consegue enjoar dela, embora ainda não esteja pronto para lhe contar quem verdadeiramente é.Natalie é uma garota incomum que não lida muito bem com mentiras e segredos. O que acontecerá com esse novo relacionamento quando ela descobrir o que Luke vem tentando esconder?
                              Skoob 📷 Goodreads 📷 Saraiva 📷 Loja Charme 📷 Amazon



Oi, gente!

Tudo bem com vocês? Tenho andado meio sumida, não é mesmo? Aparecendo aqui de vez em quando. Tsc Tsc. Isso não é bom. Confesso que tenho tido bastante dificuldade em resenhar, estou em um bloqueio criativo que tem durado um bom tempo. Dessa forma, optei por trazer uma releitura e não me enganei. Foi muito gostoso reviver tudo e logo me deu vontade de correr para contar pra vocês.


Hoje eu trouxe Fica Comigo, série With Me in Seattle, da Kristen Proby. O primeiro livro da série nos conta a história do casal Nat e Luke.

 Natalie é uma jovem mulher que busca paz e tranquilidade fazendo o que ela mais ama: fotografar. Porém, o seu plano inicial foi totalmente alterado por um louco que apareceu do nada e queria tomar sua câmera, ao mesmo tempo em que a acusava de tirar fotografias suas sem permissão. Um louco, né? Mas, lhes digo: Um louco lindo de morrer.

Tudo não passou de um mal entendido que logo mais foi esclarecido. Passada a confusão é inevitável à percepção de um para com o outro. Nat é dona de curvas incríveis e o Luke não é cego, né? O jeitinho petulante somado ao fato dela não ter a menor ideia de quem ele seja, faz com que ele se sinta desafiado a conquistar aquela mulher. Mas como não poderia deixar de acontecer, o casal enfrenta alguns desafios para ficarem juntos, como: inseguranças, mentiras, suposições, ciúmes e paparazzi. É isso mesmo que você leu: paparazzi.

Primeiro, quero dizer que sou LOUCA por esta série. Li há uns anos atrás e quando soube que viria para o Brasil fiquei surtada da vida. Está sendo publicada pela Editora Charme, que acabou de lançar o terceiro livro, Joga Comigo.

Segundo, o plano de fundo da história é o “X” da questão. Ela se passa em Seattle como o nome sugere, cidade que abriga a família Montgomery. Natalie é melhor amiga da Jules Montgomery e o fato de ter se tornado órfã cedo, fez com que ela fosse adotada por esta família imensa, divertida e amorosa.

Terceiro, o romance é extremamente leve, raso até. Entretanto, apesar desta peculiaridade, não deixa de ser gostoso e envolvente. Confesso que este não é o melhor, nem o favorito da série, mas ainda assim, quando quero reler tenho que começar do início porque tudo é delicioso e um encaixe perfeito.

Falando em edição, tenho que confessar que fiquei um pouco surpresa com a espessura do livro. Como tinha lido em e-book e a leitura flui tão bem que é rapidinha, não imaginava que pudesse dar tantas páginas em uma versão física. Porém, como nada foi alterado e a fluidez continua nas 462 páginas (não surtem), a leitura é rapidinha. Sobre a revisão, acredito que precise de outra mais atenta e cuidadosa, contudo, nada que faça o leitor largar a leitura e arrancar os cabelos. A capa e a diagramação estão amores de uma vida, sério. Tudo com muito cuidado e carinho. Dá orgulho de ter na estante.

Ah, para não esquecer. Se você não curte uma pegada mais hot, acho que esse não seria o livro mais indicado. O enredo tem uma pegada bastante sensual.

Mesmo sendo super suspeita, eu recomendo esse livro, aliás, recomendo a série inteira (rsrsrs), de coração.

Espero que tenham gostado e logo mais trarei resenha do próximo!

Um beijo e um queijo com goiabada!

Até a próxima!


Conhecendo Roleta Russa da Gisele Souza


Oi, gente! 

Não é a primeira vez que falo da Gisele Souza aqui no blog, já deixei claro o quanto fiquei apaixonada pela escrita dela. Hoje eu trouxe uma entrevista que a Gi fala sobre seu mais novo livro que está sendo lançado pela Editora Charme.  Eu, particularmente, estou louca de ansiedade para encarar esse desafio proposto por ela. Mas chega de bla blá blá e vamos colocar a mão na massa.

Dona de uma imaginação memorável e com um talento ímpar para criar personagens cativantes, ela nos apresenta seu novo romance. “Roleta Russa”, publicado pela Editora Charme. O livro encontra-se em pré-venda (por um preço supercamarada), e quem comprar pelo site da editora, vai estar concorrendo a um kit maravilhoso que contém:
  • Caixa personalizada
  • Luva de boxe
  • Cordão de arma
  • Squeeze
  • Caderno
  • Marcadores e mimos

Hoje, Gisele vai falar um pouco mais sobre como foi idealizar sua nova série: Família Gazzoni. Roleta Russa é o primeiro romance, mas seus leitores podem esperar, que vem mais coisa boa por aí... 


Olá, meus amores!

Espero que estejam todos bem, com os exames cardíacos em dia para não termos grandes preocupações, porque Enzo vem aí e promete te tirar da sua zona de conforto.

Brincadeiras à parte, estou muito feliz de poder vir contar para vocês um pouquinho de como foi escrever esse livro. Eu tenho dito muito que Roleta Russa é um livro muito diferente de tudo que já escrevi e muitos leitores têm ficado curioso do porquê. Bem, vários fatores transformaram essa história em uma experiência única para mim, não só por seu enredo e personagens, mas por tudo que vivi em seu processo de escrita.

Eu tive a ideia para essa história em meados de fevereiro de 2015, fiz todo planejamento, já tinha a cena principal na cabeça e comecei a colocar no papel. Beleza, até aí estava indo tudo bem! Mas, claro que não seria tão fácil assim, os bloqueios me atrapalharam bastante, muita coisa mesmo e não consegui dar continuidade ao livro.

Logo em abril eu passei por algumas coisas que me deixaram com o emocional bem abalado. Fiquei pra baixo, com a autoestima afetada, chorava muito, foi uma fase bem difícil da minha vida.

Enfim, com todos os problemas e obstáculos quase me enlouquecendo eu voltei a pegar Roleta Russa para escrever, achei que não conseguiria por estar com a cabeça tão cheia e uma amiga me disse mais ou menos assim: "Usa essa saudade que está sentindo e faz Enzo ficar maravilhoso".

E eu fiz, tentei pelo menos (risos).                                                        

Em cada cena intensa eu coloquei todos os sentimentos que vivi naquele ano até terminar o livro. Essa história me ajudou a superar o ano que, acredito eu, foi o mais difícil da minha vida.


Enzo Gazzoni é um personagem intenso, errado, daqueles que você ama odiar, ou odeia amar. Não sei ao certo, mas com certeza ele marca a gente de alguma forma. Para as características físicas do personagem eu me inspirei, com a ajuda da minha “personal avatar”, no modelo fitness Samuel Finn. Ele deu rosto ao meu mafioso favorito.


Já a Carina é uma personagem que cresceu no decorrer da história, ela amadureceu e se transformou em uma das minhas personagens mais fortes. Para a inspiração de nossa mocinha que gosta de viver no limite peguei emprestado a imagem de Demi Lovatto, ela se encaixou tão perfeitamente que se rolasse um filme do livro tinha que ser ela a representar a protagonista. (Sonhar não custa nada. rs)

Os dois juntos são intensos demais, não há outra palavra para definir. Cada cena é carregada de sentimentos e eu acredito que o desenrolar e desfecho dessa história irá surpreender muita gente.


Resumindo, Roleta Russa é um livro tão diferente por causa desses tantos de sentimentos e situações. Eu não posso entrar em muitos detalhes porque cada coisa que eu disser posso acabar soltando spoiler e acabar com a surpresa da leitura.

Espero de coração ter conseguido fazer o meu melhor para essa história e que possam sentir tudo que passei para o papel. Estou torcendo muito para que Enzo e toda a família Gazzoni encantem vocês.

Obrigada por estarem ao meu lado até nos momentos em que não sabem que eu PRECISO que estejam!

[Resenha] Me Descobrindo Mulher - Série Descobrindo, vol. 1 - Manu Torres

Isabela Alencar havia sido criada para odiar o sexo e jamais deixar que um homem virasse sua cabeça e isso foi fácil até se formar na faculdade e ir trabalhar na Clínica Médica do seu pai, onde um competente cardiologista mexe literalmente com o seu coração.
Leonardo Menezes é um cara comprometido com a profissão e muito sério, ele parece inacessível dentro e fora do Hospital e da Clínica onde trabalha, mas Isabela Alencar que é fisioterapeuta e filha do dono da Clínica lhe tira do eixos e, três meses depois que a conhece ele a leva ao altar e lhe jura a amor eterno.
Será que os traumas de Isabela podem ser superados?
O amor de Leonardo por Isabela transportará essa barreira?

     Skoob 💗  Fanpage do livro 💗 Amazon 💗 Goodreads

            

Oi, gente!

Tudo bem? Olha eu aqui para mais uma resenha. Quem gosta do cenário médico essa é a indicação ideal. Me senti até em Grey’s Anatomy, quer dizer, não é para tanto, porém, foi uma aventura legal. Assim como a série, temos muito drama. Mas, calma! Não se assuste. A Manu Torres não incorpora nenhuma Shonda Rhimes e não mata ninguém, ou será que mata? Tan tan tan!


Sabe aquele médico que fazemos questão de visitar? O cara de jaleco branco, sério, alto e gostosão é o que temos para hoje na Clinica Estevão Alencar.

E para começar, vamos conhecer a Isabela Alencar (sim, o nome da clinica tem tudo a ver com ela), nascida e criada em uma família tradicional, se forma em Fisioterapia e inicia a sua carreira na clinica do seu pai (não falei?), e é na Estevão Alencar que ela conhece o médico cardiologista, Leonardo Menezes (já chegaremos nele).  Foi uma atração instantânea, Isa é linda e encantadora com seu jeito tímido e recatado de ser. Em pouco tempo ela se via loucamente apaixonada e prestes a casar com o dono do seu coração.


Enfim, casados. Mesmo depois de meses de matrimonio, Leonardo não consegue entender o porquê o sexo com sua esposa linda, sexy, gostosa e jovem é tão frio e impessoal. Em uma atitude impensada — pelo menos é nisso que prefiro acreditar — ele toma uma decisão radical e sai de casa após mais uma tentativa frustrada.

Isa fica inconsolável e se culpa pelo acontecido, achando realmente que o problema ERA ELA e DELA. Ela foi ensinada que mulher não sente prazer, que o prazer é somente para o homem, que masturbação é para putas. Porém, Deus coloca nas nossas vidas anjos e com ela não podia ser diferente. Lilian e tia Luiza, irão se juntar e mostrar um caminho que a protagonista desconhecia. O caminho do amor próprio e do prazer. E é assim que começa a Operação Mulherão.

O nome do livro tem tudo a ver com o enredo, podemos acompanhar no decorrer da narrativa o empoderamento feminino da personagem, no qual, ela vai descobrindo o seu poder, sua força, sua influencia e seu prazer. Isabela começa entender e compreender que não precisa do Leonardo para ser feliz e sim dela própria, e é através desse pensamento que Isa decidiu recuperar o seu casamento. Agora ela estava pronta.


O Leo foi um pé no saco durante esse processo, impulsivo e de raciocínio curto, demorou bastante para amadurecer e por conta disso, conquistou somente minha simpatia. Teria sido legal ele ter amadurecido junto com a mocinha, ter progredido ao seu lado.  
Mas, nem tudo são espinhos, temos as rosas também, o protagonista uma hora deixa de ser um ogro comum para ser o Shrek (o melhor ogro do planeta).

Os personagens secundários são maravilhosos, eu amei e me diverti com eles. Já sei que não vou passar vontade de saber mais deles, pois o segundo livro da série é sobre o médico ginecologista da clinica, o Igor Salazar, e no final de 2016 a autora anunciou que lançará um livro somente de contos destes personagens, Descobrindo Sentimentos. Só amor, não?

Me Descobrindo Mulher é aquela leitura gostosa e quente de final de semana. Além de entretenimento, a obra possibilita ao leitor uma reflexão sobre a posição da mulher diante dela mesma, do ambiente familiar, profissional e social. Super Indico!

Espero que tenham gostado!

Beijos e um queijo mineiro!


Até a próxima!


[Estante Digital] Caçadoras de Estrelas - Raiza Varella

Após flagrar o seu atual namorado com outro cara - não, você não leu errado - e constatar que o safado tinha um gosto para homens até melhor do que o seu, Eva se arrepende por ter abandonado a família, o gato, o emprego, os amigos e até e o país para segui-lo e decide que é hora de voltar para a casa, com o rabo entre as pernas, um mau humor feroz e sem um tostão no bolso. Mas ao contrário do que imaginou não é recebida com faixas e balões, muito menos com boas-vindas e sim com mais e mais azar - como se não bastasse todas as vezes em que foi traída, abandonada pelo circo ou roubada por alguma estrela errada -, seu irmão acabou com seu carro novo, seu pai se casou, ela ganhou duas quase irmãs indesejadas, seu melhor amigo roubou seu gato e ainda de quebra arrumou uma namorada.
Embora a vida em casa não esteja como deixou, Eva é obrigada a seguir em frente e lidar com a situação como uma mulher adulta. O que em seu dicionário quer dizer se embebedar, distribuir socos e grosserias a quem quer que esteja ao seu alcance e recuperar seu gato - a qualquer custo -, nem que para isso precise roubá-lo de volta.
O que desconhece é que o destino iria lhe preparar uma surpresa, lhe oferecendo algo que não poderia ter, um amor proibido. Será ela corajosa o suficiente para lidar com mais um coração partido, mesmo que seja pela estrela mais brilhante do céu?
                                                   Skoob  🌟  Goodreads 🌟 Amazon

Oi, gente!

Queria começar dizendo que não conhecia a Raiza e muito menos a sua escrita. Com uma grande divulgação do livro, ela recebeu a minha atenção. Achei outras obras da autora, mas decidi começar pelo seu lançamento, Caçadora de Estrelas.

O livro nos traz a história da Eva, que após descobrir que recebeu um belo par de chifres, está voltando para o Brasil com uma mão atrás e outra na frente. Ela estava na Europa, e não, não foi a passeio. Ela tinha ido embora com um namorado, no qual acreditava ser o amor da sua vida, sua estrela, abandonando pai, irmão, gato, melhor amiga, melhor amigo e tudo mais. Só que Eva não contava que na verdade tinha fugido com um folgado e além do mais traidor. Pegou-o na cama com outro e não, não escrevi errado, foi OUTRO mesmo, o que foi motivo de grande indignação, pois o traste arranjava boy melhor que ela (imaginem uma pessoa revirando os olhos. Imaginou? Sim? Pois é, essa sou eu).


De volta ao Brasil, sem um centavo, pobre lascada, as coisas não poderiam ficar piores, não é? Então eu digo: podiam sim — pelo menos para a Eva —. Seu pai se casou, seu irmão deu PT (perda total) no seu carro, seu melhor amigo roubou seu gato de estimação e ainda tinha dois apêndices que vieram de bônus com o casamento do seu pai. Para a mocinha, não tinha maré de azar pior, além de ter saído do seu país para ser traída em outro continente (coisa que ela poderia ter conseguido ser ir na esquina), supostamente, também foi traída por aqueles que mais amava e confiava. Como não tinha como reverter muitas coisas, uma queria de volta, por isso, tomou uma decisão e fez daquilo sua meta: Recuperar o seu gato.

E bem no estilo Eva, ela decidi executar a primeira missão que seria: Invadir a casa do Gabriel — o ladrão de gatos —, furtar sua carteira para comprar um belo lanche no McDonald’s e roubar o carrão dele para poder chantageá-lo.

Gabriel não é o Roberto Carlos, mas é O CARA. Um rapaz totalmente altruísta e gentil, sempre fez TUDO para a Eva, protegendo-a e estando lá em TODOS os momentos que ela precisou. Só que ele foi abandonado e ela nem ao menos olhou para trás, para ele. Agora do mesmo jeito que tinha ido, ela voltou, de quebra invadiu sua casa e roubou seu dinheiro e seu carro. Mas, isso é o de menos comparado a bagunça que ela fez no seu coração, de novo.

Como eu tinha dito, eu não conhecia a escrita da autora e optei por esta obra porque sou a louca dos dramas. Falou em chorar, se acabar, destruir o coração e a alma, estou dentro. E foi isso que, para mim, o livro pareceu propor. Porém, infelizmente não foi o que encontrei, e com certeza, não foi o que eu esperava.

A Eva é até difícil falar, porque foi uma personagem que não me convenceu em nada. A todo momento a protagonista se mostrou egoísta e mesquinha, irritante e infantil, e como em paralelo tínhamos o Gabriel que era o seu oposto se mostrando sempre altruísta e generoso, calmo e maduro, me dava mais raiva da mocinha. Tenho que confessar que o Gabriel e os outros (pai, irmão e melhor amiga) tem uma parcela de culpa ENORME da Eva ser assim, pois sempre mimaram demais e foram permissivos com seus erros, ou seja, taparam o sol com a peneira, mas ainda assim vejo que a Eva é adulta e não dá para responsabilizar os outros por suas atitudes.

Se eu chorei? Chorei muito. Pelo Gabriel. Por querer que a Eva mudasse. Chorei porque para mal ou para o bem o livro despertou emoções intensas em mim.


Não vou dizer que a Raiza poderia fazer X e Y, porque acredito que autora saiba exatamente que tipo de personagem ela criou, que saiba que a Eva poderia ser amada ou odiada.

Eu amei o Gabriel do fundo do meu coração na mesma medida que lamentei por ele. O romance entre ambos os protagonistas não me conquistou e muito menos convenceu. Não consegui enxergar uma evolução na Eva, mesmo depois de tudo. Para mim, ela não cresceu, amadureceu, no final, nas entrelinhas a Eva era a mesma. Sobre os personagens secundários, a mocinha roubou tanto a cena que não conseguir me ver envolvida por eles.

Entretanto, apesar da leitura não ter fluido, não posso negar que essa capa é linda e a autora escreve muito bem, espero ter a oportunidade ler outras coisas dela e ter a chance de me encantar. Sobre a diagramação o que me incomodou foi que entre as passagens de tempo ou cenário, tem um gatinho, e a imagem deste estava em cima do texto o que atrapalhava a leitura. A revisão está ótima.

Como sempre digo, quero ouvir vocês também. Leram Caçadoras? Gostaram da Eva? Ah, o Gabriel tenho certeza que amaram.

Beijos e um queijo!

Até a próxima!